ACUPUNTURA E GRAVIDEZ

Fizemos uma entrevista para saber como a prática auxilia as futuras mamães

Por: Letícia Ferreira      Foto: Shutterstock.com

As mudanças no corpo e na mente da mulher, durante a gestação, são inúmeras, seja pela expectativa, equilíbrio emocional, ou no físico pela alteração hormonal e diversas outras mudanças. Grande parte das gestantes sofre com sintomas que variam entre enjoos matinais, lombalgia, cansaço, inchaço, má digestão e, em alguns casos, podem evoluir para doenças mais graves como a Doença Hipertensiva Específica da Gravidez (DHEG), bastante comum e uma das maiores causas de mortalidade de mãe e filho.

Para auxiliar no cuidado da saúde da mamãe e do bebê, a acupuntura pode ser uma grande aliada, tanto fisicamente como emocionalmente. Devido a uma relação intensa entre a mãe e o bebê intra-uterino, o estado emocional e as dores maternas influenciam negativamente o feto, por isso se a gestante for tratada e, por meio da acupuntura, houver uma melhora no estado geral da mãe, isso terá efeito benéfico direto no bebê ainda no ventre.

Fizemos uma entrevista com o doutor Luciano Curuci, médico especializado em Ginecologia e Obstetrícia e Acupunturista, membro do Colégio Médico de Acupuntura de São Paulo (CMAeSP), para nos orientar e explicar tudo sobre a acupuntura para gestantes. Confira:

 

  1. Qual a diferença da acupuntura para pacientes grávidas?

Sempre que falamos de gestantes devemos ter uma atenção redobrada, pois estamos tratando de dois pacientes ao mesmo tempo, mãe e filho. Toda a evolução que ocorre na gravidez, com aumento do volume uterino deve ser de conhecimento do médico acupunturista. A paciente gestante em toda sessão de acupuntura deve, também, ser posicionada em decúbito lateral esquerdo preferencialmente, para que haja a descompressão da veia cava e o fluxo sanguíneo uterino para o feto seja adequado, causando um maior conforto para o binômio: mãe e bebê.

  1. A acupuntura poderá ser feita em qual período da gestação?

Em qualquer fase da gestação, desde que o médico acupunturista avalie adequadamente cada fase da gravidez e se existe alguma patologia obstétrica associada, respeitando o que se pode fazer desde o início da gestação até o momento do parto. A acupuntura também pode ser realizada no período após o parto, chamado de puerpério.

  1. As mulheres que não fazem acupuntura, podem começar na gestação?

Sim, mesmo que uma gestante nunca tenha feito acupuntura antes, durante a primeira avaliação com o médico acupunturista, além de ser realizada a anamnese, exame físico, diagnóstico nosológico e prognóstico do tratamento com acupuntura, a paciente será orientada de como serão realizadas as sessões. Serão explicados os cuidados da acupuntura na gestação, tempo de cada sessão, como e onde serão aplicadas as agulhas. Ou seja, não deixando dúvidas para a paciente e a deixando mais confortável e tranquila para a realização do tratamento com acupuntura.

  1. Quais são os pontos que tratam o equilíbrio emocional?

Muitas pessoas perguntam sobre quais são os melhores pontos para cada doença, inclusive para transtornos emocionais. Na verdade não existe uma formula mágica de pontos, mas sim um diagnóstico correto daquela patologia naquela paciente, naquele exato momento, pois na Medicina Tradicional Chinesa e, em particular, na Acupuntura tratamos o paciente com uma visão holística, tratamos dele como um todo, buscando um equilíbrio para que possamos tratar as doenças e, preventivamente, evitar o aparecimento de novas patologias.

  1. Como a prática auxilia na indução do parto?

A Acupuntura realizada por profissional médico capacitado pode auxiliar o médico obstetra durante toda a gravidez e em especial no momento do parto. Desde que o médico obstetra interne sua paciente gestante para o parto, ele pode solicitar a presença na Maternidade do médico acupunturista que poderá auxiliar tanto na indução do trabalho de parto quanto na condução do trabalho de parto, abreviando o tempo de evolução natural do parto que pode durar até mais de 14 horas.

  1. Como a acupuntura trata os problemas físicos?

Qualquer patologia, seja ela física ou emocional, será avaliada pelo médico acupunturista na anamnese e exame físico, e ainda, se necessário, com exames de imagem ou laboratoriais. Tendo estabelecido o diagnóstico nosológico, o acupunturista, estabelecerá um prognóstico para cada doença em determinado paciente. Alguns casos poderão ter sucesso imediato, outros com melhoras em longo prazo. E ainda existem patologias que a acupuntura pode amenizar, mas por questões anatômicas ou da própria fisiopatologia da doença, não terá sucesso absoluto. Um exemplo disso são em patologias malignas, os cânceres, onde a acupuntura não proporcionará a cura, mas ajudará a aliviar os sintomas provocados pela evolução dos tumores e também dos sintomas de uma eventual quimioterapia no paciente oncológico.

  1. No caso se a gravidez for considerada de risco, a acupuntura poderá ser realizada também?

A acupuntura poderá ser feita em pacientes gestantes, seja em pré-natal de baixo risco ou em pré-natal de alto risco, desde que exista um entendimento da patologia obstétrica com uma conversa entre os médicos que cuidam da paciente. Qualquer dúvida do médico acupunturista quanto à patologia de alto risco da gestante deve ser perguntada ao obstetra e vice-versa. As principais patologias que levam a uma gravidez de alto risco são as doenças hipertensivas e o diabetes gestacional, nesses casos a acupuntura pode ajudar significativamente. Devemos lembrar que devido a toda alteração hormonal e física que ocorre com a mulher na gestação, doenças emocionais podem acometê-la, principalmente no pós-parto. A depressão puerperal deve ser levada muito a sério e ajuda conjunta entre Acupunturista, Obstetra e Psiquiatra será muito bem vinda para o sucesso do tratamento destas pacientes.

  1. A idade da gestante interfere no procedimento?

Pacientes nos extremos da idade para uma gestação, ou seja, tanto a adolescente quanto a gestante considerada idosa, podem desenvolver patologias na gestação. Por isso a atenção para estas pacientes será redobrada. Na acupuntura teremos mais atenção ainda para estas pacientes pelos fatores de instabilidade emocional que são maiores tanto em adolescentes que tem uma transformação muito grande de seu corpo e sua autoestima quanto nas gestantes idosas (acima de 40 anos) que podem apresentar doenças hipertensivas, diabetes gestacional e o risco maior de má formação fetal.

  1. A acupuntura também pode auxiliar no pós-parto? Se sim, como?

No período pós-parto imediato, ainda na sala de parto, a acupuntura pode ser realizada em casos de acretismo placentário, quando a placenta não é expelida pelo útero após o nascimento do recém-nascido. Ainda durante todo o período puerperal a acupuntura poderá ser benéfica para tratamento de dores pós-parto (principalmente cesáreas) e pode ajudar na obstipação intestinal que as novas mães podem apresentar.

Além da depressão pós-parto que já citamos anteriormente, a acupuntura pode auxiliar no estímulo hormonal de Prolactina para facilitar a amamentação.

DEIXE UMA RESPOSTA