Foto: (ShutterStock.com)

Especialista explica que obesidade e peso são duas situações diferentes

Considerada o mal do século, dados apontam que a obesidade atinge cerca de 60% dos brasileiros. Devido a isso, é comum que muita gente associe a questão do peso, à doença. No entanto, existem alguns fatores que distanciam as duas situações. Segundo a médica nutróloga Dra. Ana Luisa Vilela – especialista em emagrecimento no Instituto Garrido de Obesidade e Gastroenterologia (Beneficência Portuguesa) de São Paulo, sobrepeso não é necessariamente sinônimo de que a pessoa está obesa.

“A análise médica passa longe daquilo que marca na balança. Através da análise da constituição corporal e da circunferência abdominal que é possível determinar a obesidade e o grau em que ela se encontra, para então direcionar o tratamento”, explica. A doutora ainda acrescenta: “Quanto maior a presença de gordura visceral, maiores as chances da obesidade desencadear doenças como o câncer, diabetes, doença arteriais, doenças cardíacas e até depressão”, afirma.

A médica ainda ressalta que, para ambos os casos, existem tratamentos. Segundo ela, o paciente metabólico, é tratado de trás para frente, pois o intuito é descobrir os fatores as circunstâncias que desencadeiam a obesidade. Já quem quer emagrecer apenas por estéticas, pode contar com o auxílio até mesmo de procedimentos estéticos, como: drenagem, aplicação de enzimas localizadas e uso de inúmeros equipamentos.

“Esses que precisam apenas melhorar a aparência e consequentemente acabam ganhando mais bem estar, enquanto os obesos patológicos precisam recuperar a saúde. Essa é a principal diferença”, finaliza Dra Ana.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here