Foto: (Shutterstock.com)

Por: Wandy Ribeiro

Astróloga dá uma verdadeira aula sobre a relação dos signos com a história e a natureza, confira!

Entender a Astrologia e estudá-la é uma tarefa bem mais profunda do que podemos imaginar. Muitos estudiosos sobre o assunto, explicam que  a astrologia vem 5800aC. Desde Os Maias e dos povos da antiga Índia,  até Carl Jung e Albert Einstein, a astrologia tem sido, de diferentes formas, uma ferramenta para entender os movimentos do universo e de que forma os astros influenciam nossas vidas a milênios.

Partindo deste principio, a astróloga Maju Canzi explica sobre a relação da astrologia com a história e a ciência. “A Roda do Zodíaco que usamos é creditada a Ptolomeu, matemático e astrônomo grego. De forma individual, a astrologia passou a ser usada pelos egípcios e depois pelos romanos, mas apenas para faraós e nobres. De desejada a herege, de reconhecida a banida para grupos esotéricos, o fato é que a astrologia sempre fez parte da história da humanidade”, enfatiza.

Ainda de acordo com a astróloga, durante um bom tempo, a quantidade de signos e simbologias foi mudando. Fato que, para ela, mostra que estamos falando sobre um conhecimento antigo, mas ao mesmo tempo atual, porque leva em consideração algo do qual fazemos parte: o Universo. “Eu sempre digo que os astros nos influenciam porque somos parte de um todo, nós também somos parte do Zodíaco, assim como o Sol, a Lua, as constelações, somos feitos da mesma matéria e vibramos a mesma energia”, lembra Maju.

A profissional também relembra que a roda do Zodíaco foi elaborada a partir da visualização do céu no hemisfério norte do planeta. “Isso não significa que a atuação dos astros é maior ou menor aqui no Sul, apenas que a simbologia (que no fundo é mais interior do que exterior e, portanto, independe da estação do ano) foi criada com essa dinâmica. Assim, os signos, com suas características e nomes, estão conectados à forças da natureza e a impulsos psicológicos e de ação que podemos perceber em tudo, desde a personalidade das pessoas até a época do ano”, explica.

Para ilustrar melhor a relação dos signos com a natureza, a astróloga separou uma lista falando sobre cada signo dos zodíaco, confira!

Áries – Representa a semente, o impulso, de onde se origina a plantação. No hemisfério norte, coincide com o equinócio da primavera.

Touro – Se Áries é a semente, Touro é o óvulo, aquele que gera, fecunda, representa a germinação e o surgimento do tronco, da sustentação.

Gêmeos – Áries e Touro são a origem, mas é em Gêmeos que a multiplicação começa, do óvulo e da semente acontece a multiplicação celular, nas plantas, aparecem os galhos que se comunicam com o mundo.

Câncer – Em Câncer, acontece o nascimento das flores, o resultado da nutrição, a beleza da vida começa a ser vista, estar aparente.

Leão – O signo de Leão traz os frutos, o poder da natureza que nutre, o impulso da generosidade, o nascimento do ego, da aparência, da apreciação de si.

Virgem – Representa a colheita, separar e dar nome aos frutos, analisar o que será feito com o que se colheu. É mente analítica, que planeja, que usa o conhecimento anterior de forma organizada.

Libra – Depois da colheita, Libra é a necessidade do outro para trocar o que se colheu, o equilíbrio entre o dar e o receber. O que fazer com o que se colheu? Repartir, compartilhar, para isso é preciso se relacionar.

Escorpião – Agora é hora da observação de que os frutos morrem, a necessidade de passar pelo profundo, arar a terra e compostar, usar o que sobrou para transformar e replantar.

Sagitário – A natureza, quando alimentada, quer ir além. Exportar, ganhar conhecimento para plantar melhor e aproveitar melhor o que for colhido. Sagitário é a busca do conhecimento, é viajar para trazer novos recursos.

Capricórnio – Signo que é o princípio da razão, da busca do conhecimento sobre como guardar e contabilizar o que foi colhido para passar o inverno.

Aquário – No ciclo da natureza, Aquário é a genialidade para expandir, achar saídas extraordinárias para, durante o inverno, me recolher, buscar novas saídas e criar para o próximo ciclo.

Peixes – É em Peixes que, depois de passar por todas as etapas, eu transcendo, busco o invisível, no degelo do inverno, tudo se funde, tudo se torna uno, e a sabedoria me ajuda a recomeçar.

E para finalizar, a profissional ressalta que a Astrologia moderna tem muitas variações. “Além da astrologia ocidental, que é a mais conhecida, temos a astrologia chinesa, que possui signos próprios com referências simbólicas típicas dessa região; a astrologia védica, que surgiu na Índia, também utilizando símbolos e estudos próprios da cultura indiana; a Astrologia árabe, que utiliza cálculos matemáticos para compreender datas e assuntos específicos da nossa vida, enfim, cada uma com os elementos de referência da cultura em que se manifestaram, mas buscando a influência energética dos astros em nós”, encerra Maju.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here