MELASMA: ENTENDA MAIS SOBRE ESSA DOENÇA QUE AFETA MUITAS MULHERES

Foto: (ShutterStock.com)

Saiba como se prevenir e os fatores de riscos que ocasionam essa dermatose

Melasma é uma dermatose que afeta muitas mulheres, se caracterizando por manchas escuras que aparecem, principalmente, na região da face, como: nas maçãs do rosto, testa, nariz e lábio superior. A doença é muito comum em gestantes ou quando o corpo da mulher está passando por uma mudança hormonal. No entanto, nem tudo está perdido, existem alguns cuidados que podem te ajudar a evitar esse problema.

Segundo a dermatologista Dra. Thais Pepe, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia e da Academia Americana de Dermatologia, a principal medida para se evitar o melasma, é tomar cuidado com a exposição aos raios solares. “Apesar de não ter uma causa definida, o melasma está, muitas vezes, relacionado ao uso de anticoncepcionais, à gravidez e, principalmente, à exposição solar. Além desses fatores, a predisposição genética também influencia no surgimento desta condição”, explicou.

A especialista ainda alerta que, a fotoproteção, é indispensável tanto para prevenção quanto para o tratamento em caso de já ter desenvolvido o problema. “Deve-se usar diariamente filtros solares com no mínimo FPS 30 e índice de PPD equivalente a pelo menos um terço do valor do FPS, reaplicando a cada duas horas em ambientes abertos e a cada quatro horas em ambientes fechados. Além disso, o produto deve contar com ativos como dióxido de titânio e óxido de zinco, que formam uma proteção física contra os raios ultravioletas”, destaca a dermatologista. “É importante também sempre utilizar chapéus ou viseiras com tecidos anti-UV e não os retirar em momento algum, pois apenas um minuto já é o suficiente para estimular os melanócitos”, afirmou.

Ainda de acordo com a doutora, além da fotoproteção, podem ser utilizados para controle do melasma suplementos orais com ativos antioxidantes, peelings, cremes clareadores e lasers como Spectra, que não são agressivos e reduzem as chances de reação de hiperpigmentação por inflamação após o procedimento. O tratamento com ácido tranexâmico também vem mostrando ótimos resultados pois trata o componente vascular do melasma. Além disso, o uso de lasers de ND:Yag de baixa potência são ótimos aliados para o controle e tratamento da doença. “Um procedimento inadequado muitas vezes pode agravar a condição do paciente, piorando as manchas. Por isso, é importante que você consulte regularmente um dermatologista, pois apenas ele poderá receitar o melhor tratamento para cada diagnóstico”, finaliza a Dra. Thais.

Vale ressaltar ainda que, o melasma também afeta homens, entretanto, é mais comum em mulheres. Além do rosto, a doença ainda pode aparecer em regiões extra faciais como braços e colo.

Veja Também

DEIXE UMA RESPOSTA