Entenda o tratamento da doença que atingiu o Rei do Futebol

Entenda o tratamento para tumor no intestino grosso, doença que atingiu o Rei do Futebol

O Pelé, ídolo do futebol brasileiro, se recupera de uma cirurgia realizada para a retirada de um tumor do intestino grosso, no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A lesão foi identificada em um exame de rotina e está em processo de análise laboratorial. De acordo com o cirurgião do aparelho digestivo e professor de cirurgia da Universidade Positivo, Dr. Christiano Claus, na maioria dos casos os tumores de cólon são malignos.

“Tumores benignos no intestino grosso são raros. A cirurgia a qual Edson Arantes do Nascimento, o Pelé, foi submetido é a primeira etapa do tratamento e consiste na retirada do tumor com margem de segurança e também dos gânglios/linfonodos por onde o tumor já possa ter começado a se disseminar”, explica.

Cicatrização

A cirurgia é considerada de média para alta complexidade, podendo ser realizada pelas técnicas minimamente invasivas, como videolaparoscopia ou robótica. A fístula é a principal possível complicação. “Trata-se da não cicatrização da sutura [costura] do intestino, ela ocorre na primeira semana e pode exigir a realização de nova cirurgia para utilização de colostomia [bolsa para o intestino na pele]”.

O período da biópsia, que analisa se o tumor é ou não maligno, é de aproximadamente uma semana. “Nos casos em que se confirma que se trata de um câncer, podem ser necessários tratamentos complementares como a quimioterapia”, afirma o especialista. Na maioria dos casos os pacientes não apresentam qualquer alteração nos hábitos ou na qualidade de vida após a cirurgia.

Colonoscopia

Os tumores têm origem, principalmente, a partir dos pólipos intestinais. Como foi o caso do Pelé, eles não causam sintomas e os exames de rotina são a principal forma de diagnóstico precoce da doença.

“Quando encontrados pólipos nos exames eles são retirados durante a própria colonoscopia [exame intestinal] para evitar que se tornem malignos. Atualmente o exame é recomendado para homens e mulheres a partir dos 50 anos de idade”, disse Claus.