Como a constelação familiar te ajuda nos negócios?

0
Lucia Quintino

Por: Lucia Quintino

Eu não sei exatamente por qual situação você está passando nesse momento e nem se tem algum problema, mas quero convidá-lo a, por alguns instantes, olhar para o que está lhe impedindo de ter sucesso no seu negócio com muito amor e sem julgamento (um dos princípios que mais gosto da constelação).

Além de mentora de negócios, atuo como consteladora há mais de 2 anos, sendo procurada principalmente para atuar em questões de carreira, finanças ou negócios.

Atendo vários gestores e empreendedores que estudam, se desenvolvem, se dedicam e mesmo assim parecem não sair do lugar.

“Por que todos a minha volta parecem ter sucesso menos eu?”

“Por que depois que abri meu negócio minha vida desandou?”

“Por que não me sinto feliz com o que faço?”

Esses são alguns exemplos de perguntas que escuto desses profissionais que atendo.

Uma coisa eu posso te afirmar, tudo o que acontece (ou deixa de acontecer) é sempre para trazer equilíbrio ao sistema que estamos inseridos, seja ele nosso trabalho, família, empresa, grupo de amigos e etc.

A constelação familiar acredita que somos produto da nossa ancestralidade, ou seja, produto do nosso pai e mãe, e eles, por sua vez, de seus pais, avós e bisavós.

E também acreditamos que nada fica no passado. Todos os sentimentos de sofrimento, dor, tristeza, paralisação ficam guardados em nosso sistema até que sejam trazidos a consciência, sejam olhados e então resolvidos.

Bert Hellinger, quem criou a constelação diz: “Todo sucesso tem a face da mãe.”

Ao dizer isso, Bert quer nos mostrar que a nossa mãe é quem nos dá a energia que nos nutre e quando não temos força para criar, administrar é porque, por algum motivo, não estamos recebendo ou estamos impedindo essa energia de chegar até nós.

O trabalho que temos, os nossos comportamentos em relação a empresa ou ao ambiente que trabalhamos tem relação com a nossa mãe e é preciso nos reconectar a ela para podermos ter confiança e segurança para seguirmos nosso caminho.

É preciso olhar para nossa história, recebe-la sem julgamento e entender que a experiência que vivemos foi e é o melhor para a nossa existência e crescimento.

Lucia Quintino – especialista em liderança e terapeuta sistêmica de empreendedorismo