6 de Setembro, Dia do Sexo: Brasil é líder em cirurgias íntimas

0

Segundo relatório sociedade internacional de cirurgias plásticas estéticas, o Brasil lidera lista de cirurgias plásticas vaginais.

Cada vez mais brasileiras têm se mostrado insatisfeitas com a estética de sua região genital e, conseqüentemente, apelado para procedimentos cirúrgicos a fim de remodelá-la.

O Cirurgião plástico Juliano Souto Ferreira explica que, a ninfoplastia é uma cirurgia realizada na região íntima da mulher e que tem o objetivo de reduzir os pequenos lábios vaginais, as estruturas que protegem essa região.

É indicada para finalidade estética, quando há incômodo psicológico durante as relações sexuais ou para casos em que o tamanho exagerado das estruturas causa dor no ato.

Esse tipo de cirurgia plástica pode melhorar a auto-estima da mulher que se sente desconfortável com sua região íntima e previne infecções, pois o grande volume pode levar ao acúmulo de secreções de urina.

No pós-operatório é comum sentir inchaço, vermelhidão e diminuição da sensibilidade por cerca de 15 dias. A mulher pode retomar suas atividades rotineiras, desde que sejam leves, após 3 dias de repouso. A recuperação total varia de acordo com a paciente, mas, normalmente, a cicatrização é completa depois de 30 dias. As relações sexuais podem ser retomadas após 30 ou 45 dias após a cirurgia.

Outras recomendações importantes:


· Higienizar a região íntima com água morna e sabonete neutro durante o banho;

· Limpar a região com água e sabonete após urinas;

· Fazer a cirurgia logo após o final da última menstruação, pois, caso o ciclo comece depois do procedimento, pode dificultar o pós-operatório;

· Usar calcinhas frouxas de algodão e roupas confortáveis que deixem a região arejada.

“A ninfoplastia não é indicada para pessoas com doenças crônicas como diabetes, hipertensão e insuficiência cardíaca ou com infecção ativa no local. Para quem fuma, a recomendação é abstinência por dois ou três meses antes da cirurgia.” Finaliza o cirurgião plástico Juliano Souto Ferreira.