Elegância vai muito além daquilo que você veste

0
Anna Bey

“Uma mulher refinada, dentre outras qualidades, precisa estar sempre elegantemente vestida, é verdade. Mas quem não comete erros ou acha que a elegância se resume à forma de se vestir, exclusivamente com roupas de marca? Ser elegante envolve o comportamento como um todo”, afirma Anna Bey, instrutora do curso “Sete Passos para a Alta Sociedade”, da Escola da Elite. Ela faz alguns alertas a respeito dos erros mais comuns que podem comprometer a imagem de uma pessoa.

Segundo Ana, é preciso esquecer os estereótipos e os extremos. Não há compromisso com a perfeição o tempo todo, “não somos princesas que têm a obrigação de ser perfeitas, com trajes conservadores e posturas rígidas”, diz. A elegância é algo pessoal e existem diversas formas de transmiti-la.  É necessário ter flexibilidade e não querer aparentar ser quem não é, isso não vai funcionar. O que vale é a autenticidade e uma boa dose de personalidade equilibrada e sob controle. A elegância se traduz em respeito a si mesma e na abolição de hábitos ruins e repetitivos. O importante é ser você mesma, mantendo o carisma com sofisticação. O que não significa perder a originalidade, ou seja, não é preciso seguir regras extremamente austeras e sim enfatizar e destacar as qualidades com moderação.

A instrutora ressalta que uma mulher elegante chama a atenção sem fazer alarde. Ela sabe exatamente o que vestir de acordo com a ocasião. “O cabelo está ótimo, a maquiagem é leve, o perfume é sedutor, tudo sem exageros. Ela tem postura e um sorriso confiante no rosto”. Anna sugere brincar com um guarda-roupa de diferentes texturas, acrescentando luxo ao look. “Tecidos fluidos para alongar a silhueta, linhas limpas, simples e clássicas, cores sólidas. Escolha um atributo para mostrar de cada vez. Se resolver valorizar o decote, cubra os braços e pernas. Se decidir mostrar as pernas, opte por um decote discreto”.

Para Anna, elegância é sinônimo de equilíbrio entre a sofisticação dos gestos e da aparência. Segundo ela, se não quiser errar no visual e na postura, use a moderação como base e esqueça os extremos.